Maio

Cientifica-te! | Publicação de Maio


O autocuidado é algo que muitas vezes damos como adquirido. Contudo, durante a nossa vida, vivenciamos diversos momentos onde somos obrigados a adaptarmo-nos a novas realidades, onde os nossos comportamentos de promoção da saúde e prevenção da doença se interrelacionam com vista a promover o bem-estar.

Os Enfermeiros desempenham um papel fundamental no acompanhamento deste autocuidado, procurando capacitar a pessoa para o conseguir incrementar. A revista de Enfermagem Referência clarifica esta questão, através do artigo “Autocuidado dos adolescentes com diabetes mellitus tipo 1: responsabilidade no controlo da doença”. Clica aqui para veres mais: LINK

“Enquadramento: A diabetes mellitus tipo 1 (DM1) é uma doença cada vez mais prevalente na adolescência. Intervir no autocuidado é determinante para a gestão da doença.

Objetivos: Determinar a responsabilidade dos adolescentes com DM1 nos papéis de autocuidado; analisar a relação da responsabilidade dos adolescentes com DM1 nos papéis de autocuidado com a idade e o género.

Metodologia: Estudo descritivo-analítico e transversal. Participaram 51 adolescentes entre os 12 e os 18 anos seguidos em hospitais distritais da zona centro de Portugal. Foi aplicada uma escala de responsabilidade nos papéis de autocuidado, constituída por 15 itens distribuídos por 4 dimensões: manutenção da saúde; controlo da doença; diagnóstico, tratamento e medicação na DM1; e participação em serviços de saúde.

Resultados: A maioria dos adolescentes assume responsabilidade própria elevada. O género não influencia a responsabilidade global, os rapazes evidenciam maior nível de responsabilidade na gestão de administração de insulina.

Conclusão: Os adolescentes assumem responsabilidade própria no controlo da doença, evidencia-se responsabilidade partilhada com os pais ou outros no global e na participação em serviços de saúde.”